sexta-feira, 30 de março de 2018

Vaidade: Sentimento não tolerado pela Umbanda


           Resultado de imagem para vaidade x umbanda

    A Umbanda, assim como já sabemos, é uma religião voltada a fazer à caridade, o amor, a paz, a justiça, mas ela está voltada principalmente para a humildade.

    Mas ao contrario do que nossa amada religião prega sobre humildade, muitas pessoas que se dizem umbandista, levam dentro de si a vaidade extrema, tentando demonstrar isso dentro de terreiros, templos, tendas, barracões e casas de Umbanda.

    Certamente pessoas assim não aprenderam nada com as Entidades de Luz, que demonstram com sabedoria a pratica da humildade, e de nunca deixar o vício da vaidade tomar conta de seus corações.

    É impossível para nós que cremos na Umbanda, entender que um filho de uma casa, seja ela qual for não perceba que a maior lição das Entidades de Luz não é demonstrar a vaidade através de roupas belas, guias e mais guias no pescoço, grandes cigarrilhas, bebidas caras, danças exóticas, e com tudo isso uma mistificação sem igual.

    Muito triste para nós umbandistas vermos irmãos trajados com ternos impecáveis, vestidos caríssimos, chapéus e sapatos sempre de ótima qualidade, apenas para aparecerem mais que os outros médiuns em uma vaidade descomunal.

    E esses ainda fazem questão de serem filmados, homenageados, idolatrados, sem o menor pudor, sem o menor constrangimento, sem a menor vergonha na cara, esquecendo tudo que a Umbanda ensina tudo que ela prega tudo que ela demonstra através de suas Entidades de Luz.

    A todos que buscam respostas pela luz da religião de Umbanda, aqui vou dar uma bem simples de se entender:

    Nenhuma Entidade de Luz da Umbanda seja ela um Caboclo, um Boiadeiro, um Erê, um Preto Velho, um Cigano, um Malandro, um Exú ou uma Pombo Gira, nenhuma dessas divindades vai impor que um médium coloque vestes especiais, nenhuma vai autorizar que esses médiuns, se dizendo incorporados, fiquem fazendo teatro pedindo que sejam filmados, gravados, fotografados, para mostrarem suas roupas brilhantes, coloridas. Nenhuma Entidade de Luz irá ficar incorporado na coroa de um médium para dar entrevistas ou passar mensagens através de qualquer tipo de mídia.

    Isso tudo é mistificação, é demonstração de vaidade, pura vaidade de médiuns não preparados, ignorantes e que desconhecem a essência da religião de Umbanda.

    Hoje é muito fácil observar essas tristes demonstrações de vaidade, basta estar em um terreiro, em uma Gira qualquer, o médium se dizendo estar incorporado com tal Entidade de Luz, se esse médium perceber alguém filmando, ele desejará se tornar o centro das atenções, começando a dançar sem noção nenhuma, a falar mais alto, a gargalhar, a rodar, a mostrar sua roupa colorida, enfim, fica totalmente entregue a obsessores da vaidade, quebrando a Gira, atrapalhando os trabalhos, e logicamente prejudicando os consulentes, que estão ali por alguma necessidade.

    A vaidade não é tolerada pela Umbanda, assim como seus médiuns vaidosos também não são.

    A Entidade tem a consciência que não existe um Guia mais poderoso que outro, que todos têm a mesma luz concedida por Deus, para ali estarem e para sanar as necessidades de quem é merecedor. Porém os médiuns vaidosos passam por cima de suas próprias Entidades de Coroa, e fazem questão de mostrarem que tem na Coroa uma Entidade mais poderosa do terreiro. E assim fazendo esses médiuns estão afastando as suas Entidades, e dando aberturas para espíritos Zombeteiros, e esses dominam esses mistificadores fazendo-os acreditar em coisas não existentes, como ser o melhor da casa, e assim, claro, fazendo a vaidade aumentar cada vez mais, até que essa vaidade engula o próprio médium vaidoso, fazendo-o se tornar apenas um fantoche nas mãos dos espíritos Zombeteiros.
    Devemos entender que a vaidade significa a qualidade do que é vão algo vazio, firmado apenas sobre aparência ilusória.

    A vaidade nada mais é que uma valorização que se atribui a própria aparência, ou qualquer outra qualidade física ou mesmo intelectual, que é fundamentada apenas no desejo de avaliação muito lisonjeira que alguém tem de si mesmo, extrema falta de modéstia, grandiosa presunção, idolatração as coisas insignificantes, as futilidades, ao desejo de ser maior ou melhor que tudo e todos.

    Infelizmente, em médiuns de menos idade, os que estão se iniciando no desenvolvimento, os inexperientes, que ainda desconhecem os fundamentos da religião de Umbanda, a vaidade é o traço vicioso do ego mais fácil de identificar, sendo assim devemos tentar mostrar sempre que vaidade e Umbanda não se combinam, pois como a própria definição nos aponta, a vaidade é vazia e mentirosa, e em um âmbito espiritual, acharmos que somos melhores que os outros porque nosso Guia faz algo interessante, ou que devemos estar com as melhores roupas de caracterização de uma Entidade, ou devemos ostentar melhores bebidas, dizendo que foi pedido do Guia, ou mesmo ainda usarmos adereços sem noção e nexo, apenas para tentar demonstrar beleza, e assim chamar atenção. Isso tudo só funciona para cortar a sintonia entre o médium e a religião, que sabemos que um dos principais pilares é a humildade.

    Portanto senhores médiuns que se deixam ser levados pelo desonroso sentimento de vaidade, parem de querer esse desejo de serem artistas, de serem modelos, de serem entrevistados como famosos, de ficarem tentando aparecer nas ruas trajando roupas caracterizadas como as Entidades de Luz, pois os médiuns são apenas mensageiros, apenas auxiliadores das forças verdadeiras que são os Guias.

    Finalizando devemos lembrar sempre que para estarmos em um terreiro de Umbanda, precisamos nos aliar diariamente a humildade, ao espírito de sacrifício e a caridade total.

    Essa caminhada é árdua, difícil, muitas vezes dolorida e não tem espaço para que se permita um desvio para o orgulho e principalmente para a vaidade.

    Sejamos humildes, humildes ao ponto de sermos escolhidos a entregar nossa Coroa a uma verdadeira Entidade de Luz, e não a espíritos Zombeteiros, como muitos médiuns vem fazendo através de sua vaidade extrema, e usando o nome lindo da nossa amada Umbanda.

    Reflita muito sobre isso!

Carlos de Ogum

41 comentários:

Aninha de Iemanjá disse...

Texto de grande valor nos tempos atuais, Dindo! Onde muitas casas estão perdendo a oportunidade de auxiliar irmãos encarnados e desencarnados por causa da vaidade dos médiuns, que se deixam levar pelos vícios terrenos e assim quebram giras e atrapalham não só seus próprios caminhos, mas o de todos que naquela casa vão em busca de luz.

Lamentável realidade.
Axé!

Clarinha disse...

Mais uma lição de luz, sabedoria, amor e verdade. Paizinho amado eu
creio muito que um dia os seres humanos irão se afastar de todos os
vícios, inclusive a vaidade. E como sempre você paizinho deu seu passo
antecipado para mostrar a toda essa gente que ama a Umbanda que para
sermos verdadeiramente espíritas umbandistas, devemos mudar dentro de
nós mesmos, dentro de nossa alma e crer de verdade naquilo que pregamos,
assim como deve ser feito na Umbanda. Apesar de conhecer pouco, já fui
em um terreiro e notei como a vaidade tomava conta de algumas pessoas, e
infelizmente isso reflete na casa toda. Mas agora eu estou aprendendo a
dividir o lado verdadeiro e o mistificador vaidoso das pessoas, e tudo
isso aprendi com você meu professor de luz. Seu texto foi lindo demais,
e agradeço novamente a Deus por ter conhecido alguém que pode tanto me
direcionar na religião que aprendi a amar de verdade. Beijinhos de sua
super fã numero 1, Clarinha <3

Wania Chagas disse...

Maravilhosamente maravilhoso. Que todos os vaidosos acordem para a
evolução.

Anônimo disse...

A vaidade destroi tudo, desde a energia espiritual até a convivencia
com amigos. Texto muito bom.

Anônimo disse...

Tem muita vaidade em todo canto, isso deveria acabar mesmo.

Anônimo disse...

Parabéns Carlos su texto disse tudo.

Wandeléia Pontes disse...

Já vi desfiles de moda em um barracão que frequentava, isso é triste
demais.

Eduarda Moura disse...

Erro muito abominavel nas casas de Umbanda, isso é muito sujo. E
certamente afasta a boa luz que deveria estar ali.

Anônimo disse...

A vaidade é um inferno, acaba com a pessoa, acaba com amizades e acaba
com a religião verdadeira.

Bianca Lima disse...

Dá uma grande tristeza em ver grandes terreiros de Umbanda se
afundando pela vaidade de seus mediuns. Seu texto é uma lição pai
Carlos.

Sara Peçanha disse...

Realmente triste tudo isso, capas douradas, vestidos de festa,
champanhes caras, charutos cubanos, brilho e paetês. Vaidade nojenta que
só acaba com a seriedade da Umbanda.

Lorena Esteves disse...

Pai Carlos do céu, parece que você adivinhou. Essa semana fui a uma
Gira em um sítio, e o cara de pau do Pai de Santo usando roupas de seu
Zé Pilintra chegou em um carro aberto, em pé de braços abertos,
gargalhando, como se fosse um carro alegórico. E ainda quando desceu do
carro, 4 meninas de uns 16 anos estavam lá para recebê-lo e colocaram
uma passadeira gigante até a entrada do local que ele ia ficar. E lá
todas as meninas deveriam abraçar o safado. Vergonha disso tudo, a
vaidade tomando conta.

Brenda Master disse...

Detesto entrar em uma casa e ver que tem medium tentando se mostrar.
Feio demais isso.

Anônimo disse...

Isso da tristeza. Condeno a vaidade.

Cidinha Uvinha disse...

Que luz tem essas pessoas que se deixam dominar pela vaidade. Suja o
nome maravilhoso da Umbanda.

Nubia Gatinha disse...

Meu Pai de Santo é muito vaidoso, ele só anda de terno nas giras e
tem um anelão que os filhos da casa devem beijar ao pedir a benção. Da
casa já sairam uns 30 mediuns esse ano, e eu já estou saindo tambem.

Anônimo disse...

Deus nos livre de tamanha vaidade. Oxalá e os Exús tomem conta dessa
gente.

Patricia Mourão disse...

Pai Carlos de Ogum eu me sinto até envergonhada cada vez que entro no
meu barracão e vejo aquele poço de vaidade, começando pelos dirigentes
da casa. É muita demonstração de roupas, ardonos, e coisas supérfluas.
Uma verdadeira enganação de humildade, coisa que não existe la.

Karen de Paula disse...

Benção pai Carlos. Li e refleti muito em seu texto, e cheguei a
conclusão que a Umbanda está sofrendo muito com toda essa vaidade dos
seres humanos. Uma tristeza ver isso por ai, onde um quer ser melhor que
o outro, onde todos lutam para chamar atenção de si próprio ao invés de
buscarem as atenções para as Entidades trabalhadoras. Uma perda muito
grande para a Umbanda vermos grandes pessoas que poderiam estar
mostrando a verdadeira humildade e levando o nome da Umbanda as alturas,
mas rezaremos por todos para que não se percam nessa maldição chamada de
vaidade. Amém

Fabiana Q. Freire disse...

Muita vaidade que vemos pai Carlos, as vezes da até vontade de desistir
em seguir uma religião. Só me apego ainda porque conheço algumas pessoas
maravilhosas assim como você.

Morena Lima disse...

Sensacional seu texto e sua visão de vaidade eu amo essas colocações
inteligentes. Obrigado por tudo pai Carlos

Anônimo disse...

Una verdadera lección de Umbanda dada por un verdadero padre de santo.
Mucho he aprendido con sus textos divinamente bien explicados.

Amelinha Silva disse...

Sai vaidade sai vaidade sai vaidade. É assi,m que faço quando me sinto
vaidoso com algo. Ajuda demais, me faz acordar para a realidade e não
atrapalho minha caminhada. Gostei demais de seu texto pai Carlos.

Anônimo disse...

Saravá e axé pai Carlos. Seu texto é muito bom uma lição dada e
demonstrada a todos

Evelyn disse...

Sem comentários, depois de um texto magnifico desses, eu nada mais
posso acrescentar, a não ser. Carlos de Ogum, sou sua fã.

Fernandes disse...

Abençoado texto de luz sabedoria e divindade. Se todos agissem sem
vaidade seria maravilhoso de se viver nesse mundo.

Ianca Batista disse...

Pai Carlos, além da vaidade destruir os templos, e todas as religiões,
ainda faz crescer o ódio, a prepotencia, o desamor. Tantas guerras
poderiam ser evitadas com um simples gesto de acabar com a vaidade do
ser humano.

Anônimo disse...

Luz suprema em seu post. Que Deus nos acolha em seus braços nos
livrando de todo mal inclusive da vaidade.

Pedro Filho disse...

Carlos de Ogum, estive em meio dessa vaidade espiritual por 10 anos,
e nunca me dei conta. Era filho de um terreiro que vazava vaidade pelas
narinas de seus filhos, e principalmente da mãe de santo. Eram roupas
caras, joias, bebidas carissimas. E na verdade nada de caridade. Peço
perdão a Oxalá por ter me deixado ser levado por essas coisas e esse
terreiro. Mas graças a Deus tudo acabou. Sua benção Carlos de Ogum,
agradeço pelo seu blog, o melhor sobre Umbanda que eu ja visitei.

Anônimo disse...

Amém. Que sejamos conduzidos para fora de nossa própria vaidade.

Leandra e Lizandra disse...

Podemos tirar poucas casas que não se entregam a vaidade, deixando a
caridade de lado. otimo texto.

Anônimo disse...

Já fui em uma casa na qual um dos filhhos fez de tudo, entre fofocas
e intrigas para que a mãe de santo tirasse o pai pequeno da casa para
colocar essa pessoa no lugar. Isso pra mim foi a gota d'água e ai sai
logo em seguida. Uma vergonha tanta vaidade e uma vergonha uma mãe de
santo se deixar levar pelas intrigas e a vaidade de terceiros. Claro
que ela também era muito vaidosa e adorava bajulação. Não vou assinar
esse comentário, pois Carlos de Ogum me conhece pessoalmente e certamente outras pessoas
da referida casa que eu disse também entran nesse blog, e não vou dar
nomes aos bois, mas apenas quero fazer um desabafo que a muito desejava
fazer. Carlos vou entrar em contato com você pelo seu e-mail para
podermos conversar algumas coisas que tenho muita duvida na Umbanda e
que casa nenhuma consegui tirar, e a muitos anos atras eu lhe fiz
algumas perguntas pessoalmente e fui muito esclarecida. Agradeço desde
já.

Suely disse...

Muito bem explicado essas vaidades execivas dentro de terreiros. Isso
atrapalha muito as correntes.

Paulo Mendonça disse...

Vaidade é um cancer a ser combatido, dificil demais, mas necessario
vencermos esse vicio.

José Figueira disse...

A vaidade é um fundo do poço não só para a Umbanda, mas para todas as
religiões, vejam os padres metidos a cantores, a fortinhos, a lutadores,
os pastores galãs, que induzem as fieis a se prostituirem, uma vergonha
de todo modo. Da nojo tudo isso, esse texto demonstra muito bem o quanto
é podre a vaidade. Parabén senhor Carlos de Ogum.

Olivia Brito disse...

Eu estou sem palavras Carlos, tudo que escreveu eu sempre tive
vontade de gritar na casa que frequento. Parabéns de verdade.

Milenna Ravinny disse...

A sua benção Pai Carlos. Eu, como o você bem sabe estive me
entregando a vaidade, após um pai de santo encher minha bola, falando
isso e aquilo sobre minha mediunidade e entidades. E quando falei tudo
isso pra ti, você me chamou a atenção nesse erro da vaidade, pois eu não
deveria ficar vaidosa por algo que alguem disse e também se fosse
verdade eu deveria ser humilde como os Pretos velhos. Na época você me
deu um grande puxão de orelha e eu fiquei brava e sem falar com você por
meses, mas então fui vendo o quanto estava errada, pois continuei
acompanhando seu trabalho e via tantos elogios vindos no blog, no tw
enfim, e você nunca mudou seu jeito de responder, com carinho,
humildade, e caridade. Ai sim aprendi que a errada era realmente eu, e
então pedi para me afastar da casa que estava, e ai a surpresa, o pai
de lá disse que eu poderia me afastar do terreiro, mas não dele, e o
cara de pau me cantou. Então todos elogios que elevavam o meu ego e
minha vaidade, não passava de uma cantada safada, e não estacva vendo
meu lado espiritual, e sim meu lado carnal. Tenho muito que lhe
agradecer por tantas orientações que me deu Pai Carlos, e hoje realmente
aprendi com você o que é a humildade e como me afastar da vaidade.

Anônimo disse...

Parabéns pelo texto divino que nos da uma bela lição de humildade.

Kleber Correa disse...

Saravá a humildade. Vaidade fora já.

Gaby disse...

Maravilhoso texto de ensinamento de como ser um verdadeiro religioso,
principalmente um verdadeiro umbandista.

Dalila Romas disse...

Linda explanação sobre esse tema. Um tema que pode literalmente
afundar uma casa de Umbanda. Parabéns por tantas explicações relevantes.
Axé e muita luz na sua caminhada.

Postar um comentário

 
;