sexta-feira, 30 de agosto de 2019 21 comentários

Entidades do Terreiro de Umbanda Pai Ogum Megê (TUPOM): Linha dos Boiadeiros


Resultado de imagem para boiadeiros

    Dando continuidade aos textos que se referem às características das Entidades de Luz trabalhadoras do Terreiro de Umbanda Pai Ogum Megê (TUPOM), para tentarmos passar aos amigos o modo de trabalho de cada uma dessas divindades, demonstrando o nosso carinho, e assim frisar a cada um dos leitores que temos o prazer e a benção de reconhecer todas essas Entidades de Luz, independente da linha, irradiação, modo de trabalho, e assim poder passar a cada um de vós, a magnitude desses Anjos de Deus, demonstrando cada gesto, cada sorriso, cada palavra, fazendo assim jus a benevolência e o amor caridoso desses seres de luz.

    Em outras postagens falamos um pouco de nossos Caboclos e Caboclas, das belas Pombos Giras, dos amados Pretos e Pretas velhas, dos graciosos Ciganos e Ciganas, dos nossos Guardiões Exus, e de nossos amigos da estrada, os Malandros e Malandras de nosso amado Terreiro de Umbanda Pai Ogum Megê, no qual segue os links abaixo:













    No texto de hoje falaremos um pouco dos nossos grandes guerreiros dos sertões, os poderosíssimos Boiadeiros, que em nossa casa tem os seguintes nomes de trabalho:

Boiadeiro de Aruanda.
Boiadeiro Cigano.
Caboclo Boiadeiro do Sertão.
Boiadeiro da Jurema.
Boiadeiro Sete Laços.
Boiadeiro Zé do facão.

    E agora vamos falar resumidamente de cada um deles, seu modo de trabalho, seu atendimento aos consulentes, e suas principais características como Entidade de Luz trabalhadora pela e para a espiritualidade.

    Antes gostaria de frisar que a irradiação principal dos Boiadeiros vem da Orixá Iansã, fazendo assim que todas essas Entidades tem o domínio absoluto nos trabalhos de encaminhamento de espíritos endurecidos, trevosos, entre todos outros tipos de sofredores que necessitam de entendimento para seguir na evolução espiritual, assim sendo vamos frisar em cada um dos Boiadeiros a irradiação do Orixá no qual ele se apresenta ao terreiro, sabendo-se que independente do Orixá em questão, sempre estará também sendo vibrado pela Orixá Iansã.

BOIADEIRO DE ARUANDA: O Boiadeiro de Aruanda vem na irradiação do Orixá Ogum, e sendo assim ele é chamado de Boiadeiro Guerreiro, grande protetor dos desamparados.

    Seu modo de ser é bem rígido, sem muita conversa, extremamente forte, e de uma seriedade implacável.

    Já em sua chegada demonstra sua magnifica força, tanto espiritual quanto física, fazendo gestos de estar laçando um touro e puxando para si, com um estrondoso e potente grito de dominação.

    Não há quem não se impressione com sua chegada, chegando a ser até emocionante e extremamente vibrante para todos que estejam dentro do terreiro.

    Em suas consultas o Boiadeiro de Aruanda, como já disse acima, é de poucas palavras, porém de olhar intenso e penetrante, parecendo adentrar para dentro da alma do seu consulente, buscando ali todas as cargas negativas que possam estar atrapalhando a caminhada desse consulente.

    Trabalha em quebras de magia, de pragas, trabalhos feitos pela Quimbanda, encaminhador de todos os tipos de Kiumbas, Eguns e Zombeteiros, além de desobsessão e descarregos complicados.

    Não admite nenhum tipo de pedido que vá em desacordo com as leis e regras da Umbanda, muito menos contra as regras da casa que trabalha, e jamais parará para ouvir um consulente que venha com pedidos assim, e se for preciso falará bruscamente, com rispidez, e agirá de uma forma como se estivesse tratando com algum animal xucro.

    E assim se dá o término do resumo das características do radical, poderoso e guerreiro, Boiadeiro de Aruanda.

BOIADEIRO CIGANO: O Boiadeiro Cigano vem na irradiação do Orixá Xangô, assim sendo esse Boiadeiro é muito diferente da maioria dos Boiadeiros conhecidos por nós, pois ele é um tanto mais falante, sereno, tranquilidade extrema, usa das palavras de uma forma contundente, que chega a encantar todos no terreiro.

    Apesar de Boiadeiro, de saber lidar com a força, ele prefere a inteligência para lidar com as coisas obscuras, trazendo para suas consultas muita reflexão, entendimento e serenidade.

    De palavras mansas, de sorriso largo, de entendimento supremo, o Boiadeiro Cigano traz uma confiança extrema a quem lhe procura para desabafar suas mágoas, abrir o coração, buscar soluções para a falta de esperança.

    Em sua chegada aos terreiros, normalmente chega com danças do sertão, ou às vezes estalando seu chicote, com seu sorriso contagiante ele determina sua chegada para encantar todos os presentes no terreiro.

    Mesmo sendo um tanto mais reflexivo do que a maioria dos Boiadeiros, o Boiadeiro Cigano tem seu momento rígido também, pois não aceita pedidos que estejam fora das leis da Umbanda, e isso ele deixa bem claro, em uma conversa civilizada com o consulente, porém se esse consulente insistir, a sua calma e serenidade se transformam em uma forma rude de responder o porquê não trabalha dessa forma, ou seja, fora das leis da Umbanda.

    Tem um poder da força dos Boiadeiros junto com os dons mágicos dos Ciganos, fazendo com que esse Boiadeiro se torne especialista em quebra de qualquer tipo de magia ou feitiçaria, sendo também especialista em descarrego e desobsessão pesada.

    E assim se dá o término do resumo das características do místico e mágico, Boiadeiro Cigano.

CABOCLO BOIADEIRO DO SERTÃO: O Caboclo Boiadeiro do Sertão vem na junção do Orixá Omulú e da Orixá Nanã Buruquê, fazendo com que tenha uma incorporação pesada, porém muito forte.

    Seu modo de chegada ao terreiro é de um jeito bem bruto, trazendo uma energia suprema que pode deixar o médium que o recebe, sendo esse médium consciente ou semiconsciente, bastante abalado, às vezes um tanto perdido ao desincorporar.

    A força na qual ele chega não vem da dita idade cronológica, mas sim de toda a experiência contida na junção desses dois Orixás.

    Somando tudo isso a força da primeira irradiação de todos os Boiadeiros, que é da Orixá Iansã, temos no Caboclo Boiadeiro do Sertão um dos mais poderosos Boiadeiros para descarregos, desobsessões, encaminhamentos de Kiumbas, Eguns, Trevosos, Zombeteiros, sofredores, endurecidos, ou qualquer outro tipo de espírito que se encontre perdido.

    Em casos raros no qual esse Boiadeiro dá consultas, ele prefere ficar distante do centro do terreiro, normalmente em um canto isolado, apenas com o consulente e seu Cambono, porém suas consultas são raras, pois ele tem como missão assegurar o bom andamento das Giras e Correntes, e assim fica na guarda do terreiro.

    E assim se dá o término do resumo das características do poderoso guardião dos terreiros, o Caboclo Boiadeiro do Sertão.

BOIADEIRO DA JUREMA: O Boiadeiro da Jurema vem na irradiação do Orixá Oxossi com a junção do Orixá Omulú, e sendo assim é um excelente cuidador do corpo físico, mental e espiritual.

    Tem na sua essência o dom das ervas, raízes, folhas, frutas, além de um grande conhecedor dos poderes curativos da terra propriamente dita.

    Em suas chegadas ao terreiro, chega com uma mistura do som dos Caboclos com o grito dos Boiadeiros, fazendo assim que seja um som lindo de se ouvir e extremamente encantador, e que traz a esse Boiadeiro uma identidade única de ser.

    Trabalha principalmente em prol da cura dos males físicos, e para isso se utiliza do poder das ervas e todas as forças da natureza, e por esse motivo muitas pessoas o confundem com um Caboclo de Oxossi, contudo em seus gestos fortes e um tanto ríspidos ele demonstra claramente a sua linha, ou seja, de um Boiadeiro.

    Nas consultas prefere que seja procurado apenas para as limpezas do corpo físico, mental e espiritual, não levando muito em conta problemas do dia a dia, nos quais muitos consulentes tentam buscar respostas, como de relacionamentos, portas fechadas, entre outros.

    Em sessões de limpeza de aura, de espírito, descarregos, desobsessões, encaminhamentos diversos, ele está sempre à frente, independente se essas cargas venham das magias negras, ou de obsessores como Kiumbas e Zombeteiros, pois as forças das florestas juntamente com o da Calunga Pequena, o faz apto e poderoso para tais missões.

    E assim se dá o término do resumo das características do poderoso príncipe das florestas, o Boiadeiro da Jurema.

BOIADEIRO SETE LAÇOS: O Boiadeiro Sete Laços vem na irradiação do Orixá Ogum, e com ele vem sete Falangeiros desse Orixá, e assim sendo esse Boiadeiro trabalha abrindo ou fechando as sete aberturas dadas, tanto para o bem quanto para o mal, ou seja, ele trabalha trazendo a proteção das sete linhas, e fecha as portas aos sete obsessores, fazendo assim uma proteção preciosa a quem necessita e merece.

    Sua chegada ao terreiro é de modo intenso, girando sobre sua cabeça seu laço sagrado, e nessa chegada, se observar algum filho da casa, ou então um consulente com alguma carga excessiva que possa atrapalhar o andamento da Gira, ele faz menção de laçar esse médium ou consulente, trazendo para si todas as cargas obsessivas, e assim dando continuidade a tranquilidade dos trabalhos.

    Especialista em quebra de magias que envolvem encruzilhadas ou Calungas, feitiçarias de todos os tipos, desobsessões e descarregos que necessitem de uma grande força para serem feitos.

    Nas suas consultas ele fala bastante, gesticula abruptamente, não fica parado em um só lugar, muitas vezes vai até a frente do Gongá, fala algumas palavras e retorna ao seu consulente com as palavras certas para aquela questão ou momento.

    Como todas as Entidades de Luz, não aceita pedidos que quebrem as regras da Umbanda, e se por acaso algum consulente vier com esse tipo de questão, ele faz menção de amordaçar a boca desse consulente, demonstrando que deseja que se cale, para não ter que ser ríspido, normalmente o Cambono sabe desse modo de agir do Boiadeiro Sete Laços, e explica calmamente ao consulente desavisado.

    E assim se dá o término do resumo das características do implacável e determinado, Boiadeiro Sete Laços.

BOIADEIRO ZÉ DO FACÃO: O Boiadeiro Zé do Facão vem na irradiação do Orixá Obaluaiê com a junção do Orixá Oxossi, e assim sendo é um dos trabalhadores em prol da saúde física além da espiritual.

    Seu modo de trabalho é sempre voltado à busca, resgate, fazer o entendimento, e o encaminhamento de espíritos sofredores, endurecidos e revoltados.

    Com a menção de ter um facão nas mãos, ele faz gestos de corte, além de demonstrar um poderoso chicote espiritual, no qual corta todos os obsessores de seus consulentes e protegidos, além de afastá-los.

    Em sua chegada ao terreiro ele roda a mão direita sobre a cabeça como se rodasse um facão, e em certo momento ele se agacha passando o facão no chão e dando seu característico grito de ataque, fazendo assim que todos os presentes se arrepiem e se emocionem.

    Em suas consultas gosta de esclarecimentos francos e diretos, não gosta de meias palavras, e não atende nenhum consulente que venha pedir o mal de algum semelhante, ou que tenham em mente pedidos fora do contesto e das regras da religião de Umbanda.

    Em descarregos e desobsessões, assim como trabalho de quebra de magias negras, feitiçarias, pragas, intenções obscuras, ele tem sempre nas mãos seu poderoso facão, que pode ser tanto espiritual, ou mesmo material, no qual passa no corpo de seus consulentes retirando todas as cargas negativas, todas as mazelas e demandas.

    E assim se dá o término do resumo das características do cortador de demandas, o poderoso Boiadeiro Zé do Facão.


    E assim terminamos esse texto que demonstra resumidamente o trabalho, a força, o modo de ser desses poderosos amigos dos sertões, os nossos grandiosos Boiadeiros da Umbanda.

Xetro Marrumbaxêtro amigos Boiadeiros!



Carlos de Ogum


sábado, 10 de agosto de 2019 34 comentários

Na Gira dos Pretos Velhos, a Luz que Encanta


Resultado de imagem para pretos velhos

    Chama a luz das Almas, chama a luz dos Pretos Velhos.


    Eu adorei as Santas Almas!


    Assim sempre ouvi nas roças que caminhei, Preto Velho não é só uma Entidade de Luz, eles são; sempre foram e sempre serão um caminho a seguir.

    A luz que resplandece dessas Entidades de Luz, ilumina todos os que tem fé e humildade.

    Suas lições são lindas, suas palavras harmoniosas como o céu, tem na doçura, um encanto que nos faz refletir sobre tudo e todos.

    A cada sorriso, a cada gesto, a cada lágrima que notamos vinda de um Preto ou Preta Velha, deveria nos fazer crescer, buscar a melhora espiritual, fazermos entender que Deus está presente a cada gesto desses seres divinos, e eles estão ali para, com toda a humildade do mundo, nos mostrar que somos filhos desse bondoso Deus, e assim sendo, devemos nos comportar como tal, e vivermos plenamente sobre a regência do amor, da caridade, da boa vontade, da humildade, sem a prepotência, sem os dissabores do ódio, sem a mesquinharia, sem a intolerância que tanto consome a tão frágil humanidade sem fé e amor.

    E assim os Pretos Velhos vem até nós, nós que somos seres tão falhos, trazendo esses ensinamentos, e no dia da gira dos Pretos e Pretas Velhas, eles nos abençoam de uma forma tão linda e intensa, que a mão do próprio Deus está ali, diante de nós.

    E nada melhor para demonstrar esse carinho do que esse pequeno texto que descrevemos abaixo, frisando que não temos a autoria do mesmo.

"Com as contas de seu Rosário,
minha vó já benzia,
Saravá Pai Benedito, Pai José e Vó Luzia.

O preto é pura humildade,
bondoso é seu coração,
Saravá Vovô Baiano, Mãe Maria e Pai João.

Na luta com sacrifício,
Precisa humildade e fé,
Saravá Maria Conga, Pai Fabrício e Pai Tomé.

Tambor rufando pra preto,
trabalha como ele só,
Saravá Pai Jeremias, Maria Bina e Pai Jacó.


Nesta terra pra vencer,
é preciso muita fé,
Saravá Mãe Anastácia, Vô Bahia e Pai André.

Só é feliz quem trabalha,
o meu velho já dizia,
Saravá Vovó Cambinda, Salve o Povo da Bahia.

O Preto não tem dinheiro,
Mas tem tesouro pra dá,
São Bênçãos que vem do alto, Do nosso Pai Oxalá.

A alma do Preto é pura,
Mais doce que o puro mel,
Salve os nossos Pretos Velhos, salve a Princesa Isabel.

Na gira de Preto Velho,
Tem farofa, tem café,
Saravá Povo do Congo, salve o Povo da Guiné.

Quem no trabalho só vê,
Fama, poder e riqueza,
Vive só de fantasias, é grande a sua pobreza.

Toda a riqueza da Terra,
no meu Reino é sem valor,
o nosso maior tesouro, é humildade, paz e amor.

Mesmo assim há esperanças
pro caminho retomar,
estou aqui filho meu, diz nosso Pai Oxalá.

Joga fora tuas pedras,
segura na minha mão,
vem, retoma o teu caminho, filho do meu coração.

Te espelha no Preto Velho,
seja humilde, seja puro,
lembra que o brilho do ouro, sempre acaba no escuro.


    Saravá os Pretos Velhos!


    E assim findamos esse texto, pedindo que todos reflitam em cada gesto dos Pretos Velhos, para que possamos nos espelhar nessas humildades divinas, e assim tentarmos sermos seres melhores.

Carlos de Ogum

 
;