domingo, 30 de outubro de 2016

Imagens na Umbanda

                                   
Em todas as casas de Umbanda temos uma bela visão que por muitas
vezes nos encanta, nos deixa um tanto mais perto da fé, nos deixa
emocionados, isso para quem ama realmente a Umbanda, essa visão é o
nosso sagrado Gongá ou Congá, como preferirem. E nesse sagrado local se
encontra diversas imagens, normalmente feitas em gesso, pintadas
minuciosamente, com detalhes e detalhes de cada Entidade de Luz, ou dos
Santos que tem o sincretismo com os Orixás da Umbanda.

    Normalmente essas imagens nos trazem uma paz linda, mesmo se você
apenas parar diante delas e fazer suas orações, suas lamentações, seus
pedidos. Nos parece que estão ali, como amigos apenas aguardando o
nossos momentos de desesperos, tristezas, alegrias, agradecimentos,
lamúrias, desabafos, para nos estender a mão e levar a luz de Deus ao
nosso encontro. Isso claro para quem tem fé.


    Mas muitas pessoas umbandistas ou não, tem certas dúvidas sobre as
imagens na Umbanda, e a mais colocada é uma pergunta bem direta:

    Será que esse apego com as imagens não se caracteriza idolatria?

    Realmente essa é uma grande dúvida entre os filhos de diversos
Terreiros de Umbanda, e também por esse ponto de vista que nós,
umbandistas somos muito criticados por seguidores de algumas religiões.

    Vamos deixar bem frisado, de uma maneira bem entendível para todas
essas pessoas julgadoras e intolerantes que os umbandistas não adoram
imagens, pois sabemos perfeitamente que são apenas objetos
confeccionados por mãos de artesãos ou por fabricantes de artigos
religiosos. Para quem não sabe, "idolatrar" significa o reconhecimento
em uma imagem a própria divindade, atribuindo a mesma poderes
sobrenaturais, como se fosse a divindade do próprio Deus, o nosso
amado Pai Maior.

    Nenhum umbandista verdadeiro, esclarecido e com inteligência
suficiente acredita que uma imagem, seja ela do material que for
confeccionada, do tamanho que tiver, ou da Entidade ou Orixá que for,
possa ter um poder sobrenatural para idolatria, ou possa ter vida
própria, ou qualquer coisa parecida, que possa fazer assim com que se
demonstre maior que Deus. Isso na mente de um umbandista minimamente
coerente não existe.

    O umbandista mantém essas imagens em seus Gongás ou altares é por
um grande respeito, carinho, e uma fonte de inspiração para se
concentrarem para entrar em sintonia com a vibração necessária no
momento da incorporação, junto aos Orixás e as Entidades de Luz. Tudo
muito longe de ser uma idolatria.

    No atual estágio evolutivo em que o ser humano se encontra, é
extremamente difícil para ele se abstrair totalmente do seus
pensamentos, de suas preocupações, de seus sentimentos, precisando ele
de modelos materiais que lhe ajudem a concentração para, enfim,
plasmar no campo mental as suas manifestações de fé.

    As imagens, que podemos considerar bastantes imprecisas, conforme
relatos de inúmeros médiuns videntes, mas mesmo assim, atingem de
certa forma esse objetivo, ajudando os médiuns de incorporação a
contactar seus Mentores durante os trabalhos espirituais, ou mesmo no
ato de fazer uma simples oração, quando se eleva toda sua fé a imagem
desejada, para que essa força possa encaminhar seu pedidos,
agradecimentos, lamúrias, desabafos ao Pai Maior, nosso amado Deus. E
claro que isso não ocorre somente na Umbanda, podemos perceber esse
fato também no catolicismo, no budismo, no hinduísmo e até mesmo no
Kardecismo, pois é sabido que muitos centros mantém nas paredes
imagens ou retratos de Jesus, Bezerra de Meneses, Chico Xavier, André
Luiz, e muitos outros personagens. E não seriam essas gravuras também
imagens referentes a religiosidade?


    Todas as imagens são importantes em uma casa de Umbanda, devemos
mantê-las cada uma em seu local, manter o respeito, e ter nelas a
devoção desejada, sem a idolatria. Devemos entender que são imagens de
representação de Anjos de Deus, e que é o próprio Deus que tem o poder
supremo sobre tudo e todos, inclusive sobre seus Anjos, que se
representam em forma de algumas imagens.

    Infelizmente muitas pessoas sem informação, sem entendimento, sem
noção de que pode ser a luz de um Orixá ou uma Entidade de Luz, faz a
confecção dessas imagens de uma forma totalmente inadequada e
equivocada, como por exemplo algumas imagens de representação de
nossos amados Exús e Pombo Giras, nas quais essas imagens são
imaginadas e confeccionadas com chifres, pés de bode, cauda, dentes
afiados, e o pior de tudo, muitas delas são feitas desnudas,
demonstrando total falta de respeito com um ser evoluído, tão evoluído
ao ponto de chegar a ser uma Entidade.

    E para piorar toda essa colocação, infelizmente muitos Zeladores
de Santo fazem seus Gongás, suas firmezas, seus assentamentos, com
imagens desse tipo, fazendo assim uma falsa visão sobre essas
Entidades.

    Não existe esse tipo de personagem maquiavélico ou promíscuo em
nenhuma legião de Entidades de Luz, essas imagens são criadas pela
mente doentia dos seres humanos, e que dão ênfase aos ataques
intolerantes daqueles que desejam que a Umbanda seja vista como magia
negra, para que assim possam amedrontar seus fiéis e fazer desse ponto
uma falsa colocação de proteção, sobre algo que não existe claro, e
dessa forma fazer com que esses fiéis paguem quantias em dinheiro para
o próprio bem estar dos falsos líderes que pregam más palavras contra
a Umbanda.

    Portanto em casas que notarem imagens nuas, ou com modo
promíscuo, ou mesmo "satanizados", no qual o Zelador prega que essa é
a verdadeira face dessas Entidades nas quais se utilizam o nome de
Entidades de Luz, a melhor coisa a fazer é se afastar, pois esse
Zelador, é um falso Pai ou Mãe de Santo, assim como os falsos líderes
de outras religiões.

    Respeite as imagens da Umbanda, respeite os assentamentos, os
firmamentos, respeite as Entidades de Luz, respeitem os Gongás, e
respeitem a si mesmos.

    Que Deus abençoe a todos, e perdoem a essas pessoas com total
falta de bom senso, que imaginam nossas amadas Entidades de Luz de uma
forma totalmente distorcida.

Carlos de Ogum.



                                     

                                           

34 comentários:

Ana disse...

Adoro ver essas imagens nos gongás. lindo

Ryone bxd disse...

Amei o texto, muito esclarecedor e farei muita questão de compartilhar! Axé!!!!

Mary disse...

Como o aprendizado se faz necessário na nossa evolução, Pai Carlos de Ogum! Antes de conhecer a Umbanda, realmente eu tinha todos esses receios - entidades promíscuas, maquiavélicas, assustadoras.... Ahh quanto ignorância da minha parte !!! Sinto-me envergonhada com tanto preconceito que reinava na minha vida. Acredito que já estou há mais de três anos indagando o senhor sobre todas as dúvidas... Pedindo orientações e acompanhando esse trabalho tão generoso e caridoso que o senhor prática, Pai Carlos de Ogum. É só tenho a agradecer mais e mais. A energia dos amados Orixás da linda Umbanda é necessária para mim da mesma forma que o ar... Me revigora! Cada vez mais eu amo indistintamente cada um deles! Respeito cada história de evolução que eles carregam e agradeço pela caridade infinita que nos proporcionam na caminhada. Que o senhor seja sempre abençoado Pai Carlos, e prossiga nessa jornada de luz com alegria e esperança!

Aninha de Iemanjá disse...

Estava esperando muito por um texto com esse tema, meu Padrinho.
Em relação ao modo em que são confeccionadas as imagens, vemos cada coisa absurda. É Exu com chifres e todas as coisas que o senhor citou em seu texto, e nossas amadas moças, as Pombo Giras, parcialmente ou totalmente desnudas, como se fossem promiscuas. E o pior, é que já ouvi quem argumentasse defendendo essas imagens e citando as Caboclas que, quando encarnadas, tinham como o seu natural a não vestimenta ou apenas folhagem para tapar as partes íntimas. Mas isso lá é argumento? Até porque se é sabido que, as próprias Caboclas trabalhadoras da Umbanda, preferem que suas imagens, quando não estão com os cabelos tapando os seios, que tenha ao menos um tecido para tapa-los. E isso não pelas Entidades em si, mas pelo ser humano, que é falho e pode ter pensamentos ruins sobre a imagem.
Que essas pessoas leiam e entendam que uma imagem é uma representação daqueles que nos guiam e protegem, e devemos, como o senhor disse, não idolatrar, mas ter respeito sobre as mesmas.

Axé!

Fabricia Gata disse...

gostei demaiis de falarem sobre as imagens. valeuu

Samira disse...

Saravá. Bom texto sobre as imagens.

Waleska Freire disse...

Falou tudo, temos carinho pelas nossas imagens.

Tamara Lindeberg disse...

Obrigado por esse texto muito explicativo.

Karol Macumbinha disse...

Bença pai, eu tenho duas imagens, uma de preto velho e uma de um
caboclo. Adoro elas.

Linda Flor disse...

Salve a Umbanda, salve nossas imagens lindas.

Pedro Silva disse...

8 Quero um montão de imagens, meu sonho de consumo.

Maria Francisca dos Santos Soares disse...

Pai Carlos tenho uma imagem que ganhei a quase 20 anos atrás, de uma
vovozinha, não sei bem o nome dela, mas eu gosto tanto dela, e agora meu
marido quer que eu me desfaça dela, eu não quero não.

Anônimo disse...

Belo ensinamento

Marcela disse...

Salve pai, adorei seu texto e queria dizer que tenho uma de cigana
do oriente bem na entrada de minha casa, acho ela linda.

Amanda disse...

Lindo texto. Vou comprar uma imagem do vovô Rei Congo e pedir para
benzer.

Maria Carolina Mendes disse...

Tenho uma linda imagem de Ogum e uma de Iemanjá. Coisa mais linda. Não
as venero, mas tenho um respeito e carinho enormes.

Beatriz Silva disse...

Pai Carlos tenho praticamente um gongá em casa, pretos velhos, caboclos,
orixás, erês e boiadeiro, a pergunta é: Tem algum problema eu ter essas
imagens? Elas ficam em uma salinha que quase não é usada, e vou lá para
limpar as imagens, acender velas e agradecer por tudo. Aguardo sua
resposta. Muitos beijos e axés.

Renatinha Freire disse...

Lindo, sou xonadinha pela beleza das imagens de um Gongá

Rafaela Flower disse...

Maravilhoso texto para compreensão de todos.Salve a Umbanda

Pai Jonas de Obaluaiê disse...

Seu texto demonstra a realidade dos terreiros na qual temos carinho
pelas imagens de Orixás e Entidades, porém sabemos que acima delas
existe um poder maior. Deus é supremo.

Neuza Vasconcellos disse...

Gostaria de ter uma imagem de Iansã em casa para que eu pudesse acender
velas a ela e agradecer. Teria algum problema? Essa imagem sincretizada
seria de Santa Bárbara? Obrigado.

Janette Meirelles disse...

Pai Carlos para mim ter uma imagem em casa eu tenho que deixar ela em
algum altar? Devo ter algum local especial? Obrigado

Carlos de Ogum disse...

Cara Beatriz, não há problema algum! Ainda mais tendo um local apropriado para deixá-las, assim como você mencionou.

Axé!

Carlos de Ogum disse...

Cara Janette, você pode ter a imagem, desde que ela esteja em um local digno à ela.

Axé!

Ronny Dias disse...

Belo texto sobre as imagens parabéns.

Marcinha Riachuelo disse...

Pai Carlos, gostaria de ter uma imagem de Ogum benzida pelo vovô Rei
Congo do Senhor, como poderia fazer?

Karinna Silva disse...

Bençãos e luz. Sobre o texto desejo dizer que foi explêndido. A
colocação de que temos carinho pelas imagens mas não as veneramos foi
sem dúvida maravilhosa. Uma liçao a todos. Axé.

Thays Florzinha disse...

Eu amo minha imagenzinha de caboclo sete flechas. Obrigado pelo
texto.

Carlos de Ogum disse...

Cara Marcinha, caso desejar, pode vir ao terreiro que será benzida e cruzada com carinho.

Paz e Axé!

Lionora disse...

Uma benção ter uma imagem consagrada em casa, na hora de meus
desesperos é como eu tivesse um amigo ali para desabafar. Lindo texto.

Catarinne Meneses Couto disse...

Uma obra esse texto. Falar das imagens mostrando aos ignorantes que
elas representam a bondade de Deus ´para conosco foi divino. Sabemos que
temos um Deus acima de tudo. Lindo demais esse texto.

Anônimo disse...

Bom demais

Anônimo disse...

ainda estou aprendendo sobre a umbanda, me emociono muito cada vez que vou ao centro...

Ana Eliza Montes disse...

Acho as imagens lindas, eu amo ficar olhando para o Gongá apreciando cada uma delas. Salve

Postar um comentário

 
;