segunda-feira, 30 de outubro de 2017 178 comentários

ORIXÁ REGENTE DO ANO DE 2018.



 *****************************************************************************

    E o ano de Pai Oxossi está chegando ao fim.

    2017 passou realmente como uma flecha, se findando com muitos
acontecimentos, coisas boas e ruins com esse ano se vão.

    Parando para refletir, fazer um pequeno parecer desse ano de 2017
podemos verificar o quanto houve evolução em nossa caminhada rumo a
Deus, ou talvez não evoluímos nada.

    Passamos bons momentos, assim como passamos momentos tristes.

    Fizemos novos amigos, novos amores, novos rumos talvez aconteceram
na vida de cada um de nós.

    Muitas lições dadas, muitas compreendidas, outras que nem
imaginamos que fosse uma lição.

    E assim o ano de 2017 se vai.

    Em nosso íntimo estamos nos preparando para uma nova era, uma nova
caminhada, novas lições, novos rumos talvez.

    Sabemos que a cada inicio de ano nascem com ele novas
possibilidades de alegrias, tristezas, vencimentos de obstáculos,
decepções, enfim, já ficamos preparados para estabelecer nossas
esperanças no novo ano que está para chegar, e assim elevarmos nossa
fé ao ponto máximo, e passar por ele de uma forma que só restarão as
alegrias, não deixando que as possíveis tristezas nunca nos domine, e
assim possamos progredir ainda mais a nossa tão sonhada evolução
espiritual.

    E a cada entrada de ano, nós umbandistas ou não temos um grande
interesse em saber qual o Orixá ou os Orixás que vão reger esses 365
dias de luta contra as dificuldades da vida.

    E como de costume é feito, o nosso amado Preto Velho Rei Congo,
jogou seus búzios, e nos revelou essa informação, sendo ela confirmada
pelos queridos também Pretos Velhos, Pai Antero e Vovô Benedito da
Calunga.

    Portanto, agora estaremos repassando as informações divulgadas.

    No ano de 2018 o Orixá regente será Pai Xangô que regerá
intensamente por todo ano, tendo como companhia a partir do mês de
junho a linda e explendorosa Mãe Iansã.


    Resumindo, e respondendo a pergunta mais simplesmente, ao ser
perguntado qual Orixá vai reger o ano de 2018, podemos certamente
dizer Xangô, que será o Orixá dominante desse ano.

    O ano de 2018 será um ano de busca de justiça, e cobrança por essa
justiça. A união entre os povos poderá derrubar muitos ditadores e
corruptos, porém tudo vai depender dessa união, pois o povo em geral
estará mais descrente com a própria justiça, e sendo assim poderá não
ter a união necessária para assim criar uma corrente de força, e assim
derrubar aqueles que se utilizam dos recursos públicos para seu
próprio bem estar e demonstração de poder.

    O ano de 2018, tendo também a influência de Iansã, passará tão
rápido quanto o ano de 2017, que tinha a velocidade da flecha de
Oxossi, isso porque os ventos de Iansã soprarão com mais força, e seus
raios riscarão os céus, dando a nítida impressão do tempo passar bem
rápido.

    Será um ano extremamente quente, e todos sentirão bastante isso, e
não só no que se diz a temperatura, pois o fogo vai predominar esse
ano, e sendo assim, além de em alguns meses a temperatura vai estar
fora do esperado, no que se diz calor literalmente, mas a temperatura
dos ânimos pessoais, podendo assim ser um ano com muitas batalhas com
intuito de dominar outros povos.

    A mãe terra estará em plena erupção, e a natureza vai buscar se
defender, isso pode ocasionar algumas tragédias naturais, assim como
grandes tempestades, ativação de vulcões e furacões.

    Em 2018 devemos manter nossa fé ativa, buscar fazer sempre o bem,
sermos fiéis as nossas convicções, pois sabemos que o ano de Xangô é
um ano justiceiro, e assim como Pai Xangô tem como símbolo seu machado
de dois gumes, devemos entender que esse ano será um período de
justiça para os dois lados, portanto aquele que faz o bem com amor e
honestidade, receberá o bem da mesma forma, porém aqueles que não
forem corretos serão cobrados de uma forma extrema.

    O ano de Pai Xangô é bem mais claro, correto e realista, ano que
devemos entrar no próprio eu, e tentar mudar nossos erros.

    Será um ano um tanto difícil a todo o planeta, e a recomendação é
Orar e vigiar, e assim melhoraremos como pessoa, e colheremos os
frutos desse ano da justiça.

    Muitas verdades escondidas aparecerão, muitas pessoas serão
desmascaradas, e muitas dessas pessoas buscarão a anarquia para tentar
se defender.

    No ano de Xangô todos seremos julgados, que seja pelo pequeno ato
falho ou pela grandeza da perversidade, independente disso, todos
seremos, e cada um de nós receberemos a condenação merecida por nossos
atos e ações.

    Esse ano é muito propício para os estudantes, pois além da justiça,
Xangô também é o Orixá da inteligência, e rege a todos que realmente
buscam um objetivo através do saber.

    Em 2018,, o ser humano vai ser tomado pelo mal da depressão, e
isso levará muitos a buscar o caminho de ceifar a própria vida.
Devemos lembrar que a vida não termina com desencarne, e fugir de
nossos problemas dessa forma é estar ampliando mais nossos
sofrimentos, portanto devemos nos manter sempre em ligação com Deus
através da fé, e jamais deixar que obsessores nos induzam ao suicídio.

    Iansã estará em 2018 com Pai Xangô, e ela é a dominadora de Eguns,
portanto toda vez que a tristeza extrema chegar até seu coração, que a
depressão tomar seu ser, que pensamentos suicidas invadirem sua
mente, clame por essa mãe tão dedicada a seus filhos, peça a essa
guerreira que os afaste de todas ideias que certamente iriam levar seu
espírito a sofrer intensamente.

    Com Mãe Iansã vindo no segundo semestre do ano, teremos um ano bem
agitado e, como já dito muito rápido, portanto é recomendado não
deixar as coisas se acumularem, não deixar o que possa fazer hoje para
o dia seguinte, e nunca deixar de buscar os objetivos.

    Iansã é uma Orixá guerreira, e no ano que ela se encontra regendo
ou sendo companheira do Orixá regente, ela deseja que todos devem ser
guerreiros também, lutando contra as injustiças, contra o desânimo,
contra o comodismo. Portanto busquem ser mais objetivos e batalhadores
pelas  próprias causas.

    Que Deus abençoe nossa caminhada nesse novo ano de muitas lutas,
e com muita dedicação, teremos muitas conquistas.

    Esperamos que todos os amigos entrem com muita fé nas vitórias
pessoais nesse próximo ano.

    Que Pai Xangô e a linda Mãe Iansã nos deem caminhos de luz nessa
nova jornada, e que todas as Entidades de Luz nos protejam por todo
ano de 2018.

    Que assim seja!

Carlos de Ogum

*****************************************************************************

sexta-feira, 20 de outubro de 2017 36 comentários

Dicas para Consulentes de Umbanda




Sabemos que a Umbanda recebe todos os filhos de braços abertos,
com carinho, dedicação, amor e caridade. Não é cobrado nada, não se
descrimina ninguém, pois a Umbanda é um grande coração e uma mãe
dedicada que aconchega todos seus filhos necessitados de auxílio.
Sendo assim, muitas vezes esses filhos acreditam que por ser amorosa
dessa forma, a Umbanda tem que realizar todos os desejos desses
consulentes, sendo esses desejos bons ou maus.

    Acreditam também esses consulentes que a amada Umbanda não tem
limites ou regras, e assim tentam fazer tudo que vem na mente desses
filhos errôneos

    Mas na verdade não é bem assim, pois a Umbanda é sim uma mãe
caridosa e carinhosa, e sendo assim como uma mãe, ela deve mostrar o
melhor caminho a seus filhos, ou seja, o caminho da paz, do amor, da
caridade, da fé, retirando desses filhos a arrogância, a ganância, a
inveja, a prepotência, a maledicência.


    E quando Zeladores de Santo, médiuns desenvolvidos, filhos dos
terreiros agem assim, muitos consulentes não entendem, ou fingem não
entender o propósito da religião, para assim tentar induzir aos
trabalhadores ao erro e entregarem a magia ao invés de Umbanda.

    Infelizmente muitas pessoas de baixo caráter, se dizendo
dirigentes de terreiros de Umbanda, se utilizam desses erros de
consulentes para fazer assim adquirirem bens, elevar sua vaidade e
ego, mistificar, etc.

    Mas hoje não estamos falando diretamente a esses falsos líderes
religiosos, e sim falaremos diretamente aos consulentes, aquelas
pessoas que acreditam que a Umbanda seja magia negra, que vai lhe
amarrar um amor, que vai transtornar um semelhante a sua vontade, que
vai lhe abrir caminhos sem merecimento ou esforço.

    Gostaria de esclarecer que a espiritualidade da religião de
Umbanda se consiste em Deus, nos Orixás e nas Entidades de Luz, e não
tem nada a ver com as magias que sacrificam, que cobram, que induzem,
que mentem, fazendo que o consulente de abertura a espíritos sem luz,
como Kiumbas, Eguns e Zombeteiros, que só servem para trazer a
miséria, a dor, a discórdia, o ódio, etc.

    Gostaríamos de demonstrar a verdadeira Umbanda, a que irradia luz,
amor e caridade, e para isso devemos ter a compreensão dos
consulentes, que na maioria das vezes fazem pedidos e exclamações sem
sentido, sem nexo ou sem noção, por pura falta de conhecimento do que
é a Umbanda, pois entram numa sessão de falta de informação muitas
vezes passadas pelos próprios falsos umbandistas, que buscam
enganar, mistificar pelos seus próprios interesses obscuros.


    O consulente deve entender que tem situações que não devem ser
expostas ou pedidas as Entidades de Luz, devemos respeitar as regras
da Umbanda e compreender que acima de tudo as Entidades as respeitam,
entre elas está o uso do livre arbítrio, portanto reflita antes de
fazer qualquer pedido.

    Sabemos que um terreiro de Umbanda é um complexo formado por
várias situações, que essas situações estão entre as Entidades que se
manifestam até os médiuns que são os mensageiros das mesmas. Portanto
devemos entender que para achar o equilíbrio desse complexo mundo é
sempre um desafio a qualquer Pai ou Mãe de Santo, claro que cada um
deles tem suas normas, formas ou maneiras de atender aqueles que
buscam soluções para suas dificuldades ou necessidades. Então falar
com as Entidades de Luz, ouvir seus conselhos e buscar a cura física
ou espiritual é sempre o maior objetivo de quem tem fé.

    Sabemos que da mesma forma que um consulente necessita de uma
Entidade de Luz, a Entidade também necessita do consulente, para que
assim seu trabalho seja feito, e essa Entidade continue caminhando a
evolução espiritual.

    Quando um consulente vai a primeira vez a um terreiro de Umbanda,
tudo é muito novo para ele, e muitas vezes já chega ao terreiro com
ideias errôneas, incentivadas por algumas pessoas que acompanham a
Umbanda por um período curto de tempo, e acredita ser muito
experiente, pois gosta de demonstrar saber nomes de Entidades, gosta
de incentivar pedidos sem nexo, gostam de mostrar que pode ser um
mensageiro das Entidades, e com isso derramam palavras e mais palavras
tentando se mostrar especial no assunto Umbanda.

    Mas com tudo isso um novo consulente de um terreiro chega
apreensivo na casa, sem a mínima noção do que possa acontecer ali,
chegam receosos, as vezes descrentes ou duvidosos, e muitas pessoas
chegam a ter medo das Entidades de Luz, pela falsa propagação de
ideias erradas que algumas pessoas passam, e assim se tem uma regra
importante da Umbanda, receber o consulente sempre com cordialidade,
deixando-os confortáveis e bem seguros. Que esses consulentes sejam
direcionados e bem orientados em relação aos acontecimentos, as
Entidades, a casa em geral.

    Porém o consulente não deve confundir esse bom tratamento como
liberdade, e muitos fazem isso infelizmente, e assim esquecem que a
Umbanda é uma religião e o terreiro é um lugar sagrado.

    Ao confundirem as coisas, o consulente pode fazer muitas coisas
que fogem das regras umbandistas, e entre muitas coisas vamos citar
algumas que nunca se deve ser feito dentro de um terreiro.

    Consulentes que vão as Giras com trajes transparentes, curtos,
sinuosos mostrando o corpo em excesso. Certamente isso não é uma
atitude respeitável, e desse modo acaba trazendo uma condição
constrangedora para o próprio consulente, pois se a casa for realmente
séria, as Entidades de Luz podem não desejar consultar aquela pessoa
com vestes assim, ou em algumas casas fazer o consulente usar algum
tipo de pano, avental, ou mesmo um camisão apropriado para cobrir o
corpo do consulente. Sendo assim a melhor coisa a fazer é ir com
roupas descentes a uma casa de Umbanda. E isso não é um julgamento
pelo modo que a pessoa se veste, porém sempre e louvável usar o bom
senso.

    Um outro detalhe a ser observado é o silêncio dentro do terreiro,
não é proibido falar ou conversar, mas sabemos que em alguns momentos
o silêncio é uma prece. Imaginemos no início de uma Gira por exemplo,
onde os médiuns tem a necessidade de concentração, e a assistência
fica em conversas paralelas, risadas, piadas, falas com tons elevados,
tudo isso é uma incoerência além de ser uma falta de educação extrema.
O mais louvável é que a assistência se mantenha em prece, quando for
cantado os pontos, cantem, quando se estiver louvando, louvem, mas
tudo dentro do que o terreiro esteja propondo.

    Evite ficar comendo ou saindo para fumar enquanto a Gira está
sendo coordenada, no terreiro estamos trabalhando com energias
espirituais, e esses atos acabam tirando a concentração dos trabalhos
e dos médiuns.

    Muitas pessoas ficam escolhendo Guias, acreditando que uma
Entidade possa ser melhor que outra, porém devemos salientar que
todas as Entidades são extremamente competentes da mesma forma, se
você tem confiança na casa e nos seus médiuns, não há necessidade de
se consultar com apenas uma Entidade de Luz, a não ser por dois
motivos, ou se você já esteja em algum tipo de tratamento com a
Entidade em questão, ou se você não confia 100% em outro médium,
acreditando que o mesmo possa estar mistificando. Fora isso é muito
bom ter contato com outras Entidades de Luz, pois a troca energética é
extremamente benéfica, além da grande oportunidade que terá em
conhecer novos Guias e Mentores. Devemos entender que a energia
passada em uma corrente espiritual é uma só, essa história de passar
em outro Guia para confirmar que o primeiro Guia disse e extremamente
anti ético, assim como nunca se deve desfazer de alguma Entidade.

    Na hora do passe, o consulente deve aguardar que um Cambono ou a
própria Entidade de Luz o chame, nunca entre na corrente sem ser
solicitado ou chamado, aguarde ser encaminhado e encaminhado. O
consulente deve ser sempre cordial com a Entidade de Luz, e não busque
ser áspero, mal educado, ou um testador de Guias, como por exemplo,
chegar a uma Entidade e dizer: "O Senhor é o Guia, diz o que está se
passando com minha vida."
Certamente isso vai dar um ar de prepotência e de que está tentando
testar a Entidade, o consulente que assim agir poderá ser advertido
pelo Cambono, pelo Zelador de Santo e pela própria Entidade.

    Compreendam que a Umbanda não é um trabalho de adivinhações, e o
médium que fizer parecer isso, é um médium mal desenvolvido,
mistificador e sem preparo para estar dando suporte a nenhum
consulente.

    Uma Entidade de Luz jamais deve ser abordada para dar soluções
escusas de caráter duvidosos, como por exemplo traições, falação de
terceiros (fofocas), falsos trabalhos amorosos como a amarração, ou
qualquer tipo de coisa que agrida o livre arbítrio de outra pessoa,
pensando somente no benefício do próprio consulente, isso é ser mal
caráter.

    Os consulentes devem compreender também que é totalmente errado um
médium que se diz incorporado com uma Entidade de Luz ficar
acariciando o consulente, tentando demonstrar mais apego do que é
devido. Se acontecer esse fato, se afaste imediatamente, e busque um
dirigente da casa e reclame, pois nenhuma Entidade de Luz tem esse
tipo de malícia com ninguém.

    Outra dica importante aos consulentes é muito cuidado com médiuns
que se dizem incorporados e desejarem cobrar valores, pois dentro da
Umbanda não se cobra quantia alguma por trabalhos, passes com nenhuma
Entidade de Luz, pois nenhum Guia compactua com esse tipo de coisa. E
não importa o tipo de justificativa dada pelo médium ou por qualquer
dirigente da casa, nada é cobrado, nada exigido, nada é tomado. A lei
da Umbanda é a caridade sem cobranças, não se pode impor nada.

    O consulente deve manter a boa educação sempre, pois se agir de
violência, palavras de baixo calão, inventar incorporação, dentro da
casa de Umbanda, e se isso não for nenhuma influência espiritual, como
um obsessor por exemplo, o mesmo deve ser convidado a se retirar do
local, pois o terreiro de Umbanda é uma casa de paz e contra violência
de qualquer espécie, frisando que será visto no caso da obsessão,
portanto não adianta falar que um provável destempero seja causa de
obsessores, pois certamente se não for vai ser desmentido na hora.

    Não é permitido a permanência de pessoas alcoolizadas dentro de um
terreiro, tenda, casa de Umbanda. Caso acontecer a pessoa será
orientada a se retirar, ir para casa se restabelecer e retornar quando
possível e estando sóbria, assim teria consciência de receber o
aconselhamentos e passes das Entidades de Luz. O atendimento não será
negado a essas pessoas, pois a Umbanda determina que jamais se negue
atendimento a quem busca um caminho.


    Finalizando devemos compreender que os consulentes de Umbanda são
como qualquer outro fiel de qualquer outra religião, e deve se manter
em respeito e atenção naquilo que ele crê. Se dentro de uma Igreja
Católica, ou em uma Evangélica vemos fiéis comportados na maioria das
vezes, claro que em alguns supostos templos a tormenta e a gritaria
toma conta do ambiente, mas isso é outro caso, porque dentro de um
terreiro de Umbanda o respeito, o bom senso, a honestidade, o amor e a
caridade não devem ser impostos dentro da casa pelos consulentes?

    Vamos evitar pedidos sem noção, roupas com apelos sensuais,
pensamentos obscuros, falta de respeito com as regras da casa, enfim,
vamos ser verdadeiros umbandistas, verdadeiros amantes de nossa
religião, adoradores de Deus, dos Orixás e das Entidades de Luz.

Reflitam bem!

Carlos de Ogum.

                                        





terça-feira, 10 de outubro de 2017 32 comentários

A Cremação na visão da Umbanda

              

    Antes de começarmos a falar sobre a Cremação na visão da Umbanda, devemos explicar o que seria a cremação em si. Pois bem, vamos lá.

    A cremação é o ato de incineração, ou seja, da queima, até reduzir a cinzas o corpo físico de uma pessoa desencarnada.

    Essa incineração é executada através de um grandioso forno que tem altíssima temperatura.

    Dentro das leis humanas, para que haja a cremação de um corpo é necessário que se aguarde além da fase da catalepsia (estado de passividade e rigidez muscular), onde parece que a pessoa está morta, mas na realidade não está e por esse motivo deve-se aguardar o tempo necessário para que seja feita a cremação.

    Dentro da visão umbandista a CREMAÇÃO é um procedimento dos mais condizentes dentro do plano espiritual, pois é na verdade a purificação do corpo e do espírito.

    Do corpo, pois através desse ato, o espírito se desliga inteiramente da matéria, não retornando mais ao local de origem. Além do que o processo crematório é muito mais limpo do que o tradicional, pois neste caso o corpo fica apodrecendo nas campas do Cemitério, o que não ocorre na CREMAÇÃO.

    É recomendado aguardar o mínimo de 72 horas antes da cremação de um desencarnado, pois é dentro desse período de tempo que o perispírito, ou seja, o espírito daquela pessoa que desencarnou se desprenda da matéria e seja encaminhada para o astral.

    Não se tem conhecimento que alguma religião seja contra o processo de CREMAÇÃO. A princípio todas as religiões praticam esse processo, caso seja a vontade da pessoa antes do desencarne. Portanto, nada impede ao Umbandista de solicitar o processo crematório antes de sua passagem para o plano espiritual.

    Portanto, a cremação é aceita dentro da Umbanda, porém como já foi dito devemos respeitar às 72 horas de desprendimento de espírito/corpo.

    Dentro da biologia humana, estudiosos dizem que quando a pessoa morre, o cérebro demora até 32 horas pra "apagar" seus últimos neurônios. Já as células da pele ainda se dividem por 24 horas. Com essa colocação, é provável que seja nisso que a Umbanda se baseia pela espera de 72 horas após o desencarne para ser feita a cremação.

    O grandioso Mentor e irmão de Luz Emmanuel, no livro O Consolador, psicografado por Chico Xavier, quando lhe perguntam se o Espírito desencarnado pode sofrer com a cremação dos elementos cadavéricos, a resposta é a seguinte:

"Na cremação, faz-se mister exercer a caridade com os cadáveres, procrastinando por mais horas o ato de destruição das vísceras materiais, pois, de certo modo, existem sempre muitos ecos de sensibilidade entre o espírito desencarnado e o corpo onde se extinguiu o tônus vital, nas primeiras horas seqüentes ao desenlace, em vista dos fluidos orgânicos que ainda solicitam a alma para as sensações da existência material."

    Chico Xavier, ao ser indagado no programa Pinga Fogo quanto à cremação de corpos que seria implantada no Brasil, respondeu: "Já ouvimos Emmanuel a esse respeito, e ele diz que a cremação é legítima para todos aqueles que a desejem, desde que haja um período de, pelo menos, 72 horas de expectação para a ocorrência em qualquer forno crematório, o que poderá se verificar com o depósito de despojos humanos em ambiente frio."

    Devemos entender uma coisa básica, não somos corpos com espíritos dentro, somos espíritos eternos, temporariamente dentro de um corpo físico, e temos o objetivo de evoluir, tanto moralmente quanto intelectualmente. E quando esse corpo físico se deteriora, a normalidade é que esse espírito o deixe, retornando a pátria espiritual, e assim que possível voltar a um novo corpo físico, para que assim dê continuidade a novas experiências no planeta, novas oportunidades de evolução, bem como terminar aquilo que por ventura não conseguiu na existência carnal anterior.

    Sabendo disso, podemos imaginar que o corpo físico é como uma peça de roupa que adquirimos, pela sua qualidade e pelo nosso gosto, e devemos fazer o máximo para preservá-lo, e assim que essa peça dure o maior número de dias possíveis. E claro que quando essa peça de roupa se deteriora, vamos substituí-la por outra em melhores condições. E assim é o corpo físico, a roupagem que o espírito se utiliza para viver nesse planeta. E nesse sentido, quando o espírito se afasta se desprendendo do corpo físico, deixa de ser importante a finalidade que lhe é atribuída, portanto se é cremado ou mesmo enterrado, as razões prós e contras são mais de ordem social do que espiritual. Portanto se a cremação for decidida pela pessoa antes de seu desencarne, ou pela família por tradições, só é recomendado aguardar às 72 horas para o total desprendimento do perispírito do corpo físico.

    Muitas dúvidas teremos quanto à cremação, porém devemos refletir que o espírito de um corpo cremado, poderá sofrer tanto quanto a de um espírito de um corpo sepultado, sendo esse espírito apegado ao material, a matéria em si. Só que isso independe da cremação ou do sepultamento, e sim da maneira que esse espírito viveu sobre a terra dos encarnados, com suas vaidades, suas ganâncias, seus vícios, ou seja, para um espírito não sofrer ao desencarnar, devemos melhor como pessoas, sermos desapegados a matéria, sermos caridosos, enfim, sermos verdadeiramente umbandistas.

Reflitam!


Carlos de Ogum
 
;